terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Geraldo Vandré - 1968







Geraldo Vandré - 1968

"Pra não dizer que não falei de flores"

Classificado em São Paulo, Vandré se apresentou apenas com o violão.
Apesar de ser a favorita do público, durante a final do III FIC, no Maracanazinho, a canção ficou em segundo lugar.

Aos gritos de "é marmelada, é marmelada"...
a platéia se manifesta e Vandré pronuncia a frase:
"Olha, tem uma coisa só, a vida não se resume em festivais".

Ouça aqui http://rapidshare.com/files/85927524/Geraldo_Vandre_-_Pra__n_o_dizer_que_n_o_falei_de_flores.MP3.html

10 comentários:

Wanda disse...

Hoje, quarenta anos depois, esta música continua sendo cantada como o Hino da liberdade dos brasileiros!!!!!!

Pedro Alcântara disse...

Queria saber onde encontrar o video onde ele se apresenta em 68.

Sofocles disse...

ola marcia, tens mais fotos como esta de Vandré? De preferencia maiores, ficaria muito grato se pudesse manda-las por email

cauimferreyra@gmail.com

vaccavo disse...

Quando alguém me pergunta se está tudo bem, eu respondo: "Sim: caminhando e cantando e seguindo a canção."

Lá em casa tinha um compacto simples com a Eliana Pittman cantando. Era proibido escutar.

Anônimo disse...

Olá moça, parabéns pela página, adorei a idéia de manter viva a memória dos Festivais da Canção.
Eu fui em quase todos no Maracanazinho, e era uma festa que durava dias, nesse do Vandré tenho ainda hoje como uma das maiores emoçoes da minha vida; um cara e seu violão fazendo todo o ginásio cantar. Até agora escrevendo essas linhas me arrepio todo...rs.
Abraços e sucesso!
PS. A melhor parte eram as eliminatórias nacionais pra escolher a representante do Brasil, vi muia gente boa começar aí...

camarada marcelo disse...

Olá Marcia, sua página é muito lega. Cheguei até ela través de uma busca pelo vídeo do Geraldo Vandre no festival, quando ele cita a fraze que está na página (...a vida não se resume a festivais). Você ter idéia de onde obtê-lo?
Grato Marcelo
bnmarcelo@gmail.com

Anônimo disse...

Oi Marcia
Parabéns pelo maravilhoso blog e pelas preciosidades, como esta do Vandré, que voce disponibilizou para nós. Nesse mesmo FIC de 1968 classificou-se em 11o. lugar na fase nacional a música América, América de Cesar Roldão Vieira que não existe em nenhum lugar para ouvir ou baixar. Voce teria ou saberia onde posso obte-la? Agradeço sua atenção
Silvia

Marcia Weber disse...

Oi Silvia

Obrigada!
Vou dar uma olhada e conseguindo, posto "América, América", ok?

Um abraço

José Wilson disse...

Parabéns pelo blog e pela bela recordação de personagens tão marcantes como Vandré e tantos outros..encontrei seu blog enquanto ouvia suas palavras em Pránão dizer que não falei das flores....muito emocionante e marcante tb pois mostra que a farça opera de longa data..Vi tb seu post sobre traças....bem..como entomologista posso te adiantar que a presença de naftalina inibe o aparecemento desses bichos em quaisquer materiais, contudo, evite contato direto com a naftalina...ponha em saquinhos de pano etc e tal.
Abraço.
José Wilson

Anônimo disse...

Sumiram com todas imagens do festival de 1968 onde aparece Geraldo Vandré. Tanto os militares como as emissoras acovardadas deram sumiço nesse material e até hoje não se sabe onde foi parar, sumidos ou queimados totalmente. Apagaram a memória coletiva deste compositor e cantor, eles podiam tudo, o poder absoluto da ditadura naquela época. Hoje, vivemos a ditadura "democrática", com sumiço de gente e polícia militar da ditadura, tudo fardado ainda...
Quem quiser saber mais sobre esta história do sumiço do material, dê uma olhada aqui:
http://www.brasildefato.com.br/node/6143